12 de julho, 2024

A Magia das Pequenas Coisas: Encontrando Alegria no Cotidiano

Vou ser feliz quando eu ganhar na Mega.
Vou ser feliz quando eu mudar de casa.
Vou ser feliz quando eu conhecer a pessoa da minha vida.

Vou te contar um segredo, meio complicado de entender, confesso. Mas, você pode ser feliz agora. Na sua situação de agora!

Mas eu estou desempregado.
Mas meu papagaio morreu.
Mas meu time perdeu.
Mas…

A vida sempre nos apresenta o “mas”. SEMPRE.
A alegria está na forma com que enfrentamos os pequenos desafios diários.

Me responda rápido:
– Quem é mais importante: o seu filho ou o seu amigo do trabalho?

100% das pessoas provavelmente responderão que é o filho. Agora, tenho certeza de que, quando o seu filho vai jantar na sua casa, esse moleque de 10 anos mesmo, e quando o seu colega de trabalho vai ser recebido como convidado, a louça é diferente. Acertei?

Pois é.
Temos a incrível capacidade de valorizar o que é de fora e tratar como comum qualquer coisa que nos é familiar.
Por quê?

Pergunta de um milhão de dólares.

Então, querido samurai, comece as mudanças que você busca para o “quando” no “agora”.

Sabe aquele cheirinho de café fresco que invade a casa logo de manhã? É quase como um abraço quentinho que te dá forças pra enfrentar o dia. E quando você dá a primeira mordida naquela torrada crocante com manteiga derretendo? Ah, meu amigo, isso é pura poesia! Esses pequenos prazeres matinais são a prova de que a felicidade pode estar na simplicidade de um bom café da manhã. Não faz café? Sai atrasado todos os dias. Pior, os filhos, a mulher, o marido, a mãe, nem sentam para tomar o café, almoçar ou jantar juntos?

Então… o que você está perdendo?

Ah, me dirão, que as pessoas vivem no celular. Vivem na TV.
Então, queridão, seja mais interessante que o celular, que a tv.
Peça para que todos sejam presentes e não apenas estejam presentes.

O Sorriso de um Desconhecido

Você já reparou como um simples sorriso pode mudar o seu humor? Às vezes, estamos tão imersos nos nossos problemas que esquecemos de olhar ao redor. Mas aí, do nada, um desconhecido te dá um sorriso sincero na rua. É como se o universo estivesse te dizendo: “Ei, relaxa, vai ficar tudo bem!” Esse pequeno gesto pode iluminar o seu dia e te lembrar que a bondade ainda existe no mundo.

Aquela Música que Toca na Rádio

Você está dirigindo, preso no trânsito, e de repente começa a tocar aquela música que você adora. Sem nem perceber, você já está cantando a plenos pulmões, como se estivesse no palco de um show. Esses momentos de conexão com a música são mágicos e nos lembram que a vida tem trilha sonora, sim, senhor!

Lembro de um monte de vezes que começo a cantar sozinho, conversar com o locutor do rádio ou ainda discordar do cara do podcast, quem olha de fora certeza que pensa que sou louco.

Mas
E
Daí?

Ele que pense. Escolha ser feliz. Estar feliz. Não escolha ser absolvido no julgamento do estranho.

O Abraço de Quem a Gente Ama

E o que dizer daquele abraço apertado de quem a gente ama? Seja da mãe, do pai, do amigo ou do parceiro, um abraço sincero tem o poder de curar qualquer tristeza. É um lembrete de que não estamos sozinhos e que, apesar dos pesares, temos alguém com quem contar.

A triste realidade, meus amigos, é que todo abraço, pode ser o último abraço. A última chance de fazermos algo, de dizer algo. De perdoar. De amar, de sorrir, de chorar de alegria.

Pare um instante para pensar na efemeridade de cada um dos momentos.
Eles simplesmente vão embora.
Não importa quão bons ou ruins eles foram.

Se todo momento por ser o último, todo momento é o último, então, escolha, conscientemente, abraçar a alegria desse momento. Se ele não é feliz. Pare. Olhe. Analise e descubra como deixar aquela situação melhor ou pior.

Vamos juntos descobrir e valorizar essas pequenas maravilhas que fazem a vida ser tão incrível? Afinal, como dizia o poeta, “são as pequenas coisas que valem mais”.

E a vida, meu amigo, é feita dessas pequenas, mas preciosas, alegrias.

Sobre o colunista

Ediney Giordani

Jornalista, xoxial mídia, blogueiro, podcasteiro, escrevinhador de livros, pagador de promessas e impostos. Chão de Fábrica na KAKOI Comunicação.

Compartilhe

outros conteúdos

Dependencia da tecnologia na vida
E se você sumir do seu celular?
Será que existe uma conspiração interplanetária para você se dar mal?
Você se compromete com aquilo que promete?
Será que existe mesmo a árvore dos problemas?
Que vê stories não vê corre.
Será que é verdade que ser bonzinho é ruim pra nossa vida?