12 de julho, 2024

Benchmarking é muito mais do que copiar o concorrente

Por Francisco Tramujas

Ao ler o texto do meu amigo Boby Vendramin resolvi alterar o artigo que eu publicaria hoje. Meu amigo em seu artigo “Copiar a estratégia dos seus concorrentes é como tomar remédio sem consultar um médico” me ajudou a compreender como o empresário precisa de ajuda personalizada para cada negócio.

Benchmarking, muito mais do que uma simples replicação de práticas concorrentes, é uma abordagem estratégica que busca pontos de referência para impulsionar a melhoria contínua. Enquanto a prática é enriquecida ao se analisar casos específicos, a teoria duradoura apresentada no livro “Feitas para Durar” de Jim Collins oferece uma perspectiva mais ampla sobre os princípios fundamentais para o sucesso a longo prazo.

 

Cases de Benchmarking

Empresas que se destacam no uso efetivo do benchmarking incluem gigantes como Toyota, General Electric, Apple, Google, Amazon, Microsoft e Coca-Cola. Ao observar essas organizações, podemos identificar estratégias únicas que transcendem a simples imitação de concorrentes.

 

A Toyota, por exemplo, é conhecida pelo Sistema Toyota de Produção, uma referência para eficiência na manufatura. General Electric, sob a liderança de Jack Welch, estabeleceu padrões elevados em gestão eficaz.

 

Empresas de tecnologia, como Apple, Google e Microsoft, são admiradas por inovações em design, marketing e desenvolvimento de software.

 

A Amazon redefine padrões em logística e comércio eletrônico, enquanto a Coca-Cola é um ícone no marketing de marca global. Ao olharmos para essas empresas através da lente do benchmarking, não apenas copiamos práticas, mas entendemos e adaptamos os princípios subjacentes ao contexto único de nossas organizações.

 

Integrando a Teoria de “Feitas para Durar”

A teoria proposta por Jim Collins em “Feitas para Durar” destaca elementos cruciais para o sucesso a longo prazo. Empresas duradouras têm um propósito além dos lucros, valores fundamentais sólidos e uma cultura organizacional coesa. Ao incorporar benchmarking, é essencial não apenas observar processos, mas também os valores e a visão de longo prazo das organizações referência.

 

Collins enfatiza a adaptação contínua e a disciplina empresarial como ingredientes essenciais para a durabilidade. As empresas que estudamos não apenas inovam, mas mantêm uma disciplina consistente em seus processos. Além disso, o desenvolvimento contínuo de líderes é crucial, e as empresas duradouras demonstram uma capacidade notável de cultivar lideranças eficazes ao longo do tempo.

 

Conclusão

Ao integrar os aprendizados do benchmarking com os princípios duradouros de “Feitas para Durar”, as organizações podem criar um processo de melhoria contínua sólido e adaptável. Em vez de simplesmente imitar, as empresas podem extrair lições valiosas das melhores práticas, aplicando-as de maneira personalizada para atender às suas metas, valores e visão de longo prazo. Essa abordagem integrada é fundamental para impulsionar o sucesso sustentável em um ambiente empresarial em constante evolução.

#benchmarking #melhoriacontinua #Toyota #GeneralElectric #Apple #Google #Amazon #Microsoft #Coca-Cola #FeitasparaDurar #JimCollins # JackWelch

Sobre o colunista

Francisco Tramujas

Especialista em Planejamento estratégico com foco nas seis áreas da Gestão (Estratégia, Financeiro, Pessoas, Comercial e Marketing, Processos e Projetos).

Compartilhe

outros conteúdos

5 sinais para entender o Ponto de Esgotamento dos Canais para Manter o Giro do Estoque e o Ciclo de Recompra?
“Essa reunião poderia ter sido um e-mail?” 5 pontos que podem justificar uma reunião
Diamante Negro: O Primeiro Case de Marketing Esportivo
Entendendo a Hierarquia Corporativa: Presidente do Conselho vs. Presidente Executivo
Você dirige o seu carro sem que os instrumentos do painel estejam funcionando?
Golden Ball: sua empresa pode estar jogando fora bons clientes